Pular para o conteúdo principal

DEP. ROBERTO CARLOS: EM VOTAÇÃO APERTADA, TJ-BA REJEITA DENÚNCIA CONTRA DEPUTADO ROBERTO CARLOS.

Em uma votação apertada, o Pleno do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) rejeitou a denúncia contra o deputado Roberto Carlos na Operação Detalhes. O presidente do TJ, desembargador Gesivaldo Britto desempatou a votação, que estava com 23 votos pelo recebimento da denúncia e 23 contra. Prevaleceu a teoria do “Fruto da Árvore Envenenada”. O relator da denúncia foi o desembargador Júlio Travessa, que votou pela abertura da ação penal, por entender que todas as provas colhidas a partir de um relatório do Conselho de Controle de Atividade Fiscal (Coaf), por movimentações financeiras atípicas. Ele pediu preferência do julgamento diante do risco do caso prescrever no colegiado.
O julgamento foi iniciado em setembro de 2017, com novo pedido de vista em abril de 2018 . O presidente do TJ-BA votou com a divergência, pois o juiz teria sido levado a ratificar uma prova ilícita. O voto divergente foi aberto pelo desembargador Maurício Kertzman. Na época, o autor do voto divergente afirmou que a defesa do deputado alegava que a movimentação é “reembolso de atividades parlamentares” e que o vício da prova vem do “nascedouro da ação”. “Ao meu ver, tanto uma quebra de sigilo bancário, como uma prisão, como uma condução coercitiva, não prova em nada os fatos”, declarou o autor do voto divergente. Kertzman ainda questionou a motivação da quebra de dados e perguntou por que o mesmo não acontece com outros parlamentares da AL-BA.

Nesta quarta-feira (13), o desembargador Jefferson Alves, declarou seu voto vista para seguir a divergência. Em sua manifestação, o desembargador afirmou que não há “elementos idôneos” para aceitar a denúncia e que a quebra do sigilo fiscal é uma “medida drástica”, apesar do Coaf identificar movimentação bancária do deputado. O relator do caso fez um esclarecimento de que perícias comprovaram os desvios e que o Coaf é um instrumento que o Estado tem para movimentações atípicas. Para o realtor, a quebra de sigilo fiscal é a mais "suave" para início de uma investigação, questionou aos seus pares qual medida seria a ideal para iniciar uma investigação, já que considerarem outras medidas, como prisão preventiva como execpcionais. O advogado de Roberto Carlos, João Daniel Jacobina, reforçou que a primeira prova produzida foi ilícita, e que todo inquérito foi decorrente dessa prova, conforme diz a Teoria do Fruto da Árvore Envenenada. O Ministério Público da Bahia (MP-BA), que é o titular da ação penal, não fez nenhum pronunciamento oral durante o julgamento do caso. Com a decisão, os processos que tramitam em 1ª Instância contra os servidores da AL-BA e parentes do deputado poderão ser arquivadas. A decisão ainda cabe recurso.

ENTENDA O CASO
A operação foi deflagrada em abril de 2012, com mandados de busca e apreensão na AL-BA, em Juazeiro, Uauá e Petrolina. A denúncia foi baseada em um Relatório de Inteligência Financeira do Conselho de Controle de Atividade Fiscal (Coaf). O relatório aponta que o deputado usava servidores “laranjas” e que os rendimentos do parlamentar, em grande parte, eram repasses que permitiram o aumento do patrimônio, “de forma incompatível com sua própria renda”. De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), durante a investigação, foram registrados depósitos em dinheiro que totalizam R$ 203,5 mil. Os servidores recebiam de R$ 3 mil a R$ 8 mil. O valor não foi declarado à Receita Federal, o que se caracterizou como crime tributário, desvio de verba pública e crime de peculato – quando um agente público se apropria de um dinheiro, valor ou bem em razão do cargo, ou desviá-lo em proveito próprio ou alheio. Neste último caso, o crime foi caracterizado pelo fato de o deputado usar recursos que deveriam ser pagos aos servidores da Assembleia.
Fonte: http://www.jaguarariacontece.com.br

Comentários


Parceiros do Portall Gameleira:


Postagens mais visitadas na ultima semana:

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL DE JAGUARARI PROMOVE ENCONTRO DE ACOLHIMENTO

  Aconteceu ontem, dia 11, o encontro de acolhimento da Secretaria de Desenvolvimento Social de Jaguarari. No evento, a secretária municipal, Maria Letícia dos Santos Duarte , foi formalmente apresentada à equipe com quem vai trabalhar nos próximos quatro anos.  A tônica do ato, que contou com a benção do padre Antony Murigi , foi a de um convite a um trabalho conjunto, de união e profissionalismo em prol da proteção e assistência à população que requer cuidados especiais. Cerca de 110 profissionais, dentre eles: psicólogos, assistentes sociais e auxiliares, atuarão no desenvolvimento de programas e projetos sociais executados no CRAS, CREAS, CAPS, Casa de Acolhimento, Conselho Tutelar, entre outros.  A secretária aproveitou a ocasião para anunciar o início do planejamento de ações que, a partir de agora, deixa de ser anual e passa a ser semestral , compreendendo os diversos setores que compõem a pasta, visando à promoção de suas políticas públicas.  EXPERIÊNCIA – Na vida pública, Le

PREFEITURA DE JAGUARARI ADQUIRE SERINGAS E AGULHAS E ASSINA INTENÇÃO DE COMPRA DA CORONAVAC

  Preocupado com o avanço do número de casos de infectados por coronavírus em Jaguarari, o prefeito Antônio Nascimento deu início a um planejamento que visa a imunização dos jaguararienses contra a Covid-19.  O primeiro passo para a vacinação já foi dado, com a aquisição de seringas e agulhas que já podem chegar na próxima terça-feira (19).  Jaguarari, assim como os demais municípios brasileiros, aguarda, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária ( ANVISA ), a aprovação de uso emergencial ou o registro de alguma vacina para iniciar aplicação de doses na população. Porém, o chefe do executivo municipal, Antônio Nascimento , s e antecipou e formalizou a intenção de compra da vacina Coronavac, que está sendo desenvolvida e testada pelo Instituto Butantan, sediado em São Paulo.   Com a eficácia anunciada em 78% para casos mais leves e 100% para casos graves, a Coronavac é a vacina que apresenta os melhores resultados em estudo no país.  O oficio de intenção nº 002/2021, encaminhado a

HÁ QUATRO ANOS SEM MANUTENÇÃO PRAÇA DE CONVIVÊNCIA DE JAGUARARI SERÁ REVITALIZADA

Inaugurada em 2014, na segunda gestão do prefeito Antônio Nascimento , a Praça de Convivência de Jaguarari não passou por nenhuma intervenção de reforma ou melhoramento do espaço físico nos últimos quatro anos . Como resultado da falta de manutenção, a praça ficou com a estrutura extremamente comprometida.  A Praça de Convivência, um dos mais modernos e importantes equipamentos voltados à interação social e ao lazer , é o resultado da parceria entre o Governo do Estado, via Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia ( SUDESB ) e o Município de Jaguarari. Um espaço aberto, com anfiteatro, pista de corrida e caminhada, parque infantil, pista de skate e ginásio poliesportivo. Com a piscina semiolímpica, o investimento total, após a conclusão, foi de cerca de R$ 1,2 milhão de reais . Na última segunda-feira (11), o prefeito Antônio Nascimento e o secretário de Obras e Infraestrutura Pública, Josimar Zuza , visitaram a praça para uma vistoria. Diante do que foi visto,o chefe do execu