Pular para o conteúdo principal

JAGUARARI É DESTAQUE ENTRE AS 186 PIORES CIDADES BAIANA.

Estado da Bahia, 417 municípios. Deles, 186 integram o grupo das 500 PIORES CIDADRS brasileiras, segundo Índice de Desenvolvimento Municipal medido pela Firjan, a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro. Mesmo sendo umestado em crescimento - subiu duas posições no ranking - nenhuma cidade baiana está classificada entre as 500 com melhores índices do país.


O índice, que tem como ano base 2007, leva em consideração três vetores na análise: educação, saúde e emprego e renda. A saúde e a geração de emprego contribuíram para que a Bahia melhorasse sua posição frente aos outros estados. No entanto, foi a educação que realmente alavancou o crescimento. Segundo o chefe da Divisão de Estudos Econômicos da Firjan, Guilherme Mercês, a Bahia ainda temum desenvolvimento que precisa avançar bastante.


“A Bahia tem longo caminho a ser percorrido, mas está crescendo. A pesquisa mostra que,apesardemoderado, esse crescimento é, de fato, bastante significativo”, explica.

Um dos fatores que levou o pesquisador a essa conclusão é o fato de, mesmo tendo poucos municípios com desenvolvimento moderado, 43% da população está concentrada nesses municípios. “Principalmente porque Salvador está entre eles”, completa. Guilherme acrescenta que, pelo primeiro ano, a Bahia alcançou classificação de desenvolvimento moderado, ou seja, acima de 0,6 pontos. O relatório da pesquisa mostra ainda que a Bahia ganhou duas posições no ranking em função da educação. No entanto, o índice ainda é baixo.

“A educação no estado cresceu 6,9% em relação a 2006. Mas, é o único indicador do estado que ainda se encontra na faixa considerada como desenvolvimento regular, abaixo de 0,6 pontos no somatório geral", diz Guilherme.

A educação na Bahia tem índice de 0,51 pontos, o que é considerado regular (de 0,4 a 0,6). “A educação é a vertente mais fraca do estado da Bahia, porém a que mais avançou em relação à medição anterior”, completa o pesquisador.

E o vetor não alavancou só o crescimento do estado. Em 2007, a parcela de municípios em desenvolvimento moderado aumentou de 14 para 34. Salvador ainda é a cidade que apresenta o maior índice de crescimento, seguida de uma surpresa. Em segundo lugar está a cidade de Pojuca, agora, alavancada por outra vertente: emprego e renda.

Há também mais duas cidades que se destacam na pesquisa que são Dias D’ávila e JAGUARARI. A primeira, em função do pólo petroquímico. A outra, pela atividade intensa de estrativismo mineral”, esclarece Guilherme Mercês.

Mesmo mantendo a média de crescimento abaixo do considerado como regular, a Bahia tem o que comemorar, diz o pesquisador. “Mesmo com essa defasagem, 82,2% dos municípios baianos evoluíram frente a 2006. O que pode ser uma tendência para os próximos anos”.  

Saúde, educação e emprego e renda formam índice
Para chegar ao índice de desenvolvimento municipal, os técnicos da Firjan avaliaram as cidades a partir de três setores: educação, saúde e emprego e renda. Em cada uma delas, vários índices e indicativos foram somados para chegar ao índice.

Em educação, por exemplo, foram verificadas a taxa de matrícula na educação infantil, a taxa de abandono escolar, a taxa de distorção idade-série, percentual de docentes no ensino superior, a média de horas aula diárias e o resultado do Ideb - o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica.

Já em saúde, as variáveis foram formadas pelo número de consultas pré-natal, mortes infantis por causas evitáveis e mortes por causas mal-definidas. Por último, em emprego e renda, fizeram parte da análise a geração de emprego formal, o estoque de emprego formal e os salários médios do emprego formal gerado em cada uma das cidades. As três esferas possuem peso igual no cálculo para a determinação do índice de desenvolvimento dos municípios brasileiros.

O índice varia de 0 a 1 e, quanto mais próximo de 1, maior o nível de desenvolvimento da localidade. O índice se diferencia também por permitir que o avaliador perceba se o crescimento foi em decorrência de políticas aplicadas ou se foi a partir da queda das demais cidades.

OS 10 MELHORES
- SALVADOR
- POJUCA
- MADRE DE DEUS
- CAMAÇARI
- SIMÕES FILHO
- VITÓRIA DA CONQUISTA
- MUCURI
- DIAS D‘ÁVILA
- JAGUARARI
- FEIRA DE SANTANA

OS 10 PIORES
- BOM JESUS DA SERRA
- MACURURÉ
- CASA NOVA
- JUCURUÇU
- SANTA BRÍGIDA
- ARACI
- MORPARÁ
- LAJEDINHO
- SANTA LUZIA
- LAMARÃO

Salvador lidera ranking no estado
Outro dado a ser comemorado pelos baianos é a redução de 41 (2006) para dez (2007) municípios com taxa de baixo desenvolvimento. Na lista, Bom Jesus da Serra, Macururé, Casanova, Jucuruçu, Santa Brígida, Araci, Morpará, Lajedim, Santa Luzia e Lamarão, último colocado. Já a lista das dez cidades mais desenvolvidas é lideradas pela capital baiana, Salvador, que cresceu 1% em relação a 2006.

A lista é composta ainda por Pojuca, Madre de Deus, Camaçari, Simões Filho, Vitória da Conquista, Mucuri, Dias D’ávila, Jaguarari e, por último, Feira de Santana. Para Guilherme, a situação de Feira de Santana ainda pode ser considerada boa, já que permanece entre os dez maiores. “Não significa que a cidade tenha deixado de crescer. Mas, outras tiveram uma arrancada superior”, diz.

As atividades com petróleo e extração mineral são as principais responsáveis pelo bom índice de emprego e renda no estado, marcando 0,86 pontos, acima dos 0,6 considerado como crescimento moderado. Dos 417 municípios, apenas oito não apresentaram crescimento nos três vetores analisados. Araci, Cravolândia, Feira de Santana, Itiruçu, Jitaúna, Manoel Vitorino, Pé de serra e Ubatã tiveram queda comparando com 2006.


Comentários


Parceiros do Portall Gameleira:


Postagens mais visitadas na ultima semana:

EM AÇÃO EMERGENCIAL, A SECRETARIA DE OBRAS CONCLUI CASCALHAMENTO EM APROXIMADAMENTE 30KM DA BA 314

  Enquanto trâmites burocráticos são finalizados pelo Governo do Estado para o anúncio oficial da empresa vencedora do processo licitatório para tocar a obra de Requalificação da BA 314, trecho Barrinha/ Mineração Caraíba, em Pilar, a Prefeitura Municipal de Jaguarari , por meio da Secretaria de Infraestrutura e Obras Pública s, realizou em aproximadamente 30 quilômetros ação paliativa com cascalhamento nos trechos mais críticos da estrada .  Com a conclusão da intervenção, o secretário municipal de Infraestrutura, Josimar Zuza , acredita que haverá significativa melhora na trafegabilidade. “Sabemos que isso não resolve. É apenas uma ação emergencial enquanto é iniciada a requalificação pela Seinfra-BA", afirmou Josimar.  No final de fevereiro, o prefeito Antônio Nascimento e o secretário de Governo, André Nascimento estiveram na Seinfra, em Salvador, acompanhados do deputado estadual Bobô Tavares para pedir agilidade na obra de recuperação da BA 314. Na ocasião, uma boa notíci

CONFIRA AS PRINCIPAIS MEDIDAS RESTRITIVAS DO NOVO DECRETO DO ESTADO EM 07 DE MARÇO DE 2021.

  DECRETO Nº 20.289 DE 07 DE MARÇO DE 2021. O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA , no uso da atribuição que lhe confere o inciso V do art. 105 da Constituição Estadual, D E C R E T A. - Ficam autorizados, de 08 de março até às 05h de 10 de março de 2021 , nos Municípios (1. Andorinha 2. Antônio Gonçalves 3. Campo Alegre de Lourdes 4. Campo Formoso 5. Cansanção 6. Canudos 7. Casa Nova 8. Curaçá 9. Filadélfia 10. Itiúba 11. JAGUARARI 12. Juazeiro 13. Pilão Arcado 14. Pindobaçu 15. Ponto Novo 16. Remanso 17. Senhor do Bonfim 18. Sento Sé 19. Sobradinho 20. Uauá) constantes no Anexo Único deste Decreto, somente o funcionamento dos serviços essenciais ...  - Ficam suspensas, nos Municípios as atividades presenciais nos órgãos e entidades da Administração Pública Estadual não enquadrada como serviços público essenciais, devendo ser adotado o regime de trabalho remoto ...  - Os estabelecimentos comerciais que funcionem como restaurantes, bares e congêneres , localizados nos Municípios, só pode

PREFEITO DE JAGUARARI PEDE AO GOVERNADOR RUI COSTA AGILIDADE NA LIBERAÇÃO DE RECURSOS PARA O ENFRENTAMENTO À COVID-19

  Em reunião virtual que ocorreu na manhã deste domingo (07/3), o prefeito Antônio Nascimento conversou com o governador da Bahia, Rui Costa , e pediu agilidade na liberação de recursos a serem aplicados no enfrentamento à pandemia de coronavírus em Jaguarari.  Dentre as solicitações feitas está o envio de novas remessas de testes rápidos para o Centro de Atendimento à Covid-19 do Município. “Não tem vindo nada do Governo Federal”, destacou Antônio Nascimento.  Prefeitos da região também participaram da reunião. Na oportunidade, todos relataram as dificuldades que vêm encontrando neste período crítico da pandemia com o aumento do número de óbitos.  O governador Rui Costa aproveitou a ocasião e solicitou junto aos gestores informações sobre o quantitativo de leitos e de respiradores não utilizados nos municípios. O objetivo é que os equipamentos não utilizados possam ser cedidos para os hospitais de campanha que estão sendo abertos em Salvador.  VACINA – O contrato para a compra dire